Menu

Vinde a Nós as Criancinhas

julho 15, 2016 - Ecologia Dental, História
Vinde a Nós as Criancinhas

Desde a faculdade, tão logo iniciamos o atendimento de pacientes, em especial o atendimento de pacientes infantis, desenvolvi uma capacidade muito grande para o atendimento de crianças e de adultos com muito medo de tratamento odontológico.

Eu mesmo, nunca tive medo de dentista e era usado como exemplo para o dentista convencer meus amigos a não terem medo do tratamento dentário.

Eu convivi com o medo que meus amigos tinham e desenvolvi uma empatia muito grande em relação a isto. Eu sentia o desespero deles quando tinham que ir ao dentista e tentava de todas as formas convencê-los de que não havia o que temer.

A convivência intensa com meus sobrinhos e seus amigos também me ajudou muito nesta empatia e na facilidade de lidar com as crianças.

Com o início da prática odontológica o que pude perceber foi que na cadeira do dentistas todos voltamos a ser criança.

Então, mesmo o adulto precisa de um atendimento em que sejam levados em conta todos os seus medos e receios, que afloram com muita facilidade nesta hora e que se trata de um momento de extrema fragilidade de todos nós, principalmente daqueles aparentemente mais corajosos.

Neste anos todos de prática odontológica, dei muita atenção à procura de soluções que tornassem o tratamento o menos desagradável possível. Fiz muitos cursos neste sentido e adquiri muitos equipamentos que prometiam amenizar o estresse do tratamento.

Acabei desenvolvendo um método que torna o tratamento bem mais tranquilo e hoje estou desenvolvendo um sistema para que este método possa ser aplicado por outros dentistas de forma que eles consigam atingir o mesmo nível de sucesso que eu atingi na solução do temor em relação ao tratamento odontológico tanto em crianças quanto em adultos.

Eu atendi crianças de todas as idades, de zero a 120 anos, afinal na cadeira do dentista todos voltamos a ser criança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *